11 de julho de 2024

Contam que numa visita do presidente John Kennedy a NASA, em 1962, ele teria perguntado para um funcionário da equipe de limpeza, qual era sua função. Então o homem respondeu para o presidente norte-americano :

“Eu trabalho para levar um homem até a Lua “.

Lembrei desta história observando a equipe de vigilância do Instituto Federal de São Paulo – Campus de Itapetininga.

Diariamente levo e vou buscar minha filha Laura, que estuda lá. Nesse contato diário passei a entender melhor que o processo da educação se faz muito além das paredes da sala de aula.

Eu tive a oportunidade de conversar com o Elói Freire, um dos vigias patrimoniais do Campus. O Elói sofreu preconceito ainda menino, e da pior forma, dentro da sua própria família. Mas isso não impediu ele de ser uma figura simpática, alegre e afetuoso com os alunos.

Falando do seu trabalho, ele diz “Nosso maior patrimônio são os alunos”.

Esse é o ponto. A equipe de vigilância do Instituto Federal entendeu a importância do seu trabalho dentro de uma instituição de ensino. Essa consciência é que traz um propósito maior para todos, o propósito de contribuir dentro do processo da educação.

É muito curioso falar sobre isso, mas esse pessoal cumpre todos os protocolos de segurança necessários sem deixar de agir de forma acolhedora com os alunos, coisa rara hoje em dia.

Outro fato que chama a minha atenção é o que o Elói chama de “Cãodomínio”. O “Cãodomínio” está situado logo na entrada do Campus, ao lado da Portaria. É um conjunto de casinhas , muito bem cuidadas e limpas, onde mora um grupo de cachorros que é muito bem tratado, não só pelos vigilantes: alimentação, cuidados de saúde e muito carinho da comunidade acadêmica, especialmente dos alunos.

Os cães retribuem acompanhando os vigilantes nas rondas noturnas por toda a extensão do Campus.

Pra encerrar nossa conversa o Elói conta que está aprendendo a linguagem de Libras, para melhorar a comunicação com os alunos com deficiência auditiva.

Em 20 de julho de 1969 a NASA conseguiu levar o primeiro homem pra Lua, um grande avanço para a história da humanidade, que contou com o esforço e comprometimento de todos os trabalhadores daquela agência espacial.

Da mesma forma vejo o Instituto Federal de Itapetininga tratando a educação como um todo : de lá saem construtores, cientistas e diversos tipos de especialistas que irão melhorar nossa sociedade com o seu conhecimento adquirido nesse Campus.

E todos eles passaram pela portaria do Elói e da equipe de vigilância.

Por Edmundo Vasques Nogueira

Edmundo Vasques Nogueira é um contador de histórias do dia a dia e jornalista formado pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. Filho de Edmundo Prestes Nogueira, jornalista e escritor, e de Cecília Pimentel Vasques Prestes Nogueira, professora de crianças portadoras de necessidades especiais. É pai do Augusto, do Gabriel, da Raísa, da Laura e avô da Manuela.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra mais sobre Edmundo Vasques Nogueira

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading